MINISTÉRIO EXTRAORDINÁRIO DA SEGURANÇA PÚBLICA BUSCA COLABORAÇÃO DAS IGREJAS


Fonte: ASCOM

No dia 30 de abril do ano em curso, o Ministro Raul Jungmann, do Ministério Extraordinário da Segurança Pública (MESP), esteve reunido na sede do Palácio da Justiça, Ministério da Justiça, Praça dos 3 Poderes, em Brasília-DF, com líderes religiosos (católicos, protestantes e espíritas), além de representantes de entidades paraeclesiásticas, com o objetivo de solicitar a ajuda deste segmento da sociedade para socorrer a atual situação grave em que se encontra a Segurança Pública do País.

Em breve e esclarecedora introdução à reunião sobre a atual situação da Segurança Pública, oportunidade na qual apresentou estatísticas impactantes relacionadas a prática de crimes (homicídios e crime contra o patrimônio, entre outros), além de números sobre o grave problema relacionado à população carcerária brasileira, considerada a terceira maior do mundo, em torno de 700 mil encarcerados, o Ministro Jungmann ponderou que é necessário se levar em conta a população jovem e carente do país e que é a mais afetada pela violência e, portanto, mais susceptível à cooptação pelo crime organizado, para que as ações de segurança pública sejam de fato mais eficazes. Em conclusão, ressaltou que há a necessidade da apresentação de programas e/ou projetos que resultem em ações de caráter preventivo que tenham o poder de impedir ou ao menos dificultar que a população jovem ingresse no mundo do crime.

Representantes presentes ao evento esclareceram que a Igreja já realiza trabalhos de socorro e ações sociais de toda sorte em auxilio às populações carentes e vulneráveis. O Ministro Jungmann destacou que reconhece o trabalho que a Igreja desenvolve, contudo asseverou “estamos pedindo que vocês nos ajudem mais”.

A Aliança Pró Capelania Militar Evangélica (ACMEB), criada por denominações que propugnam pela promoção da assistência religiosa e espiritual nas Forças Armadas e Auxiliares (Polícias Militares e Corpo de Bombeiros Militares das unidades da federação, inclusive) do Brasil, teve o privilégio de ser convidada para apresentar também sua parcela de maior colaboração ao MESP.


Mj Rubens, TCel Gisleno, Cel Terra, Rev. Aluísio, Dr. Candeas e Pr. Glédston (esq. p/ dir.). Fonte: ASCOM

Nova reunião com o MESP já está anunciada para ocorrer no próximo dia 22 de maio com o objetivo de dar seguimento as ações de apresentação de ideias/projetos para avaliação e, uma vez aprovadas, estabelecer os caminhos para a efetividade da parceria que se pretende entre Governo e Igreja em razão do interesse comum, a saber: melhorar as condições da Segurança Pública do nosso País.

Parodiando a expressão cunhada pelo Procurador Federal Deltan Dallagnol no caso da Operação Lava Jato, vislumbra-se neste momento da história da Segurança Pública brasileira um “ponto fora da curva”, revelado no ousado desafio proposto pelo MESP quando avança sobre o paradigma da laicidade do Estado convidando a Igreja, em razão de um interesse público e comum, a colaborar um pouco mais.

Em conclusão, apresentada está a “janela de oportunidade” para que a Igreja avalie e reflita sobre a responsabilidade a qual está sendo chamada para exercer sua vocação primária: a de servir, e servir mais.

Por: Glédston C. Reis
ASCOM, Atualizado em: 18 Mai 2018, 09h01.